Conheça Lia de Itamaracá, a cirandeira que no carnaval de 2024 será homenageada no Rio e São Paulo

Reconhecida por sua atuação como divulgadora da ciranda no Brasil e no exterior, a cantora, compositora Lia de Itamaracá é hoje a cirandeira mais popular do país. Através de sua arte, se tornou patrimônio vivo do estado de Pernambuco. No carnaval de 2024 Lia será enredo de duas escolas de samba tradicionais.

Lia de Itamaracá começou ainda criança a participar de rodas de ciranda. A artista nasceu e sempre residiu na Ilha de Itamaracá, região metropolitana de Recife, capital do estado de Pernambuco. Por muito tempo trabalhou como merendeira, em paralelo dedicava-se à ciranda sempre que sobrava tempo.

No final de década de 70, Lia gravou seu primeiro disco, A Rainha da Ciranda. Seu ressurgimento como expoente do gênero ocorreu em 1998, quando participou de festivais em Recife e em Olinda, onde passou a ser convidada para participar de apresentações pelo país e no exterior. Nestas apresentações foi citada pelo jornal The New York Times  como a “diva da música negra”.

Orgulho do estado de Pernambuco, Lia de Itamaracá fez participações nos filmes Recife Frio e Bacurau, ambos de Kleber Mendonça Filho. Fascinado pela história, seu conterrâneo, o carnavalesco Junior Pernambucano resolver lançar Lia de Itamaracá como enredo do Império da Tijuca para comemorar os 80 anos da cantora na Marquês de Sapucaí, em desfile pela Série Ouro do carnaval carioca.

É Lia! Realização de um sonho!“, postou Junior Pernambucano em suas redes sociais.

Outra agremiação que também exaltará o legado cultural da Cirandeira, pelo Grupo de Acesso 1 de São Paulo, é a Nenê de Vila Matilde. “Cirandando a vida prá lá e prá cá. Sou Lia, sou Nenê sou de Itamaracá” é o título do enredo que será desenvolvido pelo carnavalesco Fábio Gouveia.

“Lia de Itamaracá é a música da minha infância, sonho que embalou minha vida cantada pela minha mãe, tias, e amigos. A muito ansiava por este enredo, e não poderia ser diferente, é ancestral é missão, missão em nome das mulheres pretas que me rodeiam, enredo com uma carga emocional gigante que requer cuidado, respeito e principalmente amor“, disse Fábio Gouveia.

Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp