RJ – Carnavalesco da Mocidade retorna à Caruaru/PE no intuito de enriquecer o trabalho de pesquisa que será colocado em prática na Sapucaí

O carnavalesco da Mocidade Independente de Padre Miguel, Marcus Ferreira, retornou à Caruaru, município do agreste pernambucano, nesta terça-feira (30). Ele foi recepcionado no Alto do Moura pelos gestores da Fundação de Cultura e artesãos locais.

Marcus, que esteve na cidade em junho, estava acompanhado de outros integrantes da Mocidade e do multiartista Serginho Brayner, da cidade de Bezerros, para nova visita aos artesãos no intuito de enriquecer o trabalho de pesquisa para o enredo do carnaval de 2023, “Terra de meu Céu, Estrelas de meu Chão“.

Marcus em sua primeira visita ao polo de artistas Pernanbucanos, ao lado de JBorges – o mestre das Xilogravuras – Arquivo pessoal

Em 2023, a Estrela Guia da Zona Oeste vai levar para a Avenida o legado dos artistas do Alto do Moura, todos discípulos de Mestre Vitalino e pertencentes ao maior Centro de Artes figurativas das Américas. No enredo também serão homenageados outros grandes artistas locais como: Manoel Eudócio, Mestre Galdino, Severino Vitalino, apenas para citar alguns nomes.

Carnaval 2023

No Alto do Moura, os artistas trabalham nas suas casas,  modelando o barro e criando diversos objetos e figuras de todos os tipos. Suas casas são verdadeiros ateliês onde, além de criar, eles vendem o produto do seu trabalho. Os temas básicos dos artesãos são motivos folclóricos e que retratam o cotidiano do homem sertanejo: o bumba-meu-boi, o maracatu, as bandas de pífano, os retirantes da seca, o cangaço e os cangaceiros, principalmente os famosos Lampião e Maria Bonita, o vaqueiro, a vaquejada, o casamento e o enterro na zona rural.

Em 1971, a casa onde viveu  Vitalino Pereira dos Santos (1909-1963) foi transformada na Casa Museu Mestre Vitalino. No local, são expostos suas principais peças, objetos pessoais, fotografias, mostrando um pouco da história do famoso artesão caruaruense. Construída em 1959, a casa sofreu alguns reparos para se transformar em museu, mas conservou a estrutura original em tijolo cru. Estima-se a produção original de Vitalino em cerca de 130 peças, que continuam sendo reproduzidas por seus filhos, netos e bisnetos. As peças mais valorizadas são as da primeira fase de sua obra, cujos bonecos têm os olhos vazados e não pintados.

Em 2023 a Mocidade será a terceira a desfilar no Domingo (19/02) pelo Grupo Especial do Rio de Janeiro.

Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp