RJ – Deficiente em várias escolas, quesito evolução será o ultimo envelope aberto e o primeiro no critério de desempate da apuração das notas do Grupo Especial

Quesito julga o andamento do desfile e a uniformidade das alas, evolução será o ultimo envelope aberto na apuração das notas do Grupo Especial do Rio de Janeiro. Jurados são instruídos a tirar pontos quando a escola acelera muito ou quando se formam buracos ou clarões, problema sofrido por várias escolas nas duas noites de desfile.

Antes da abertura das notas, a Liga vai observar se as agremiações cumpriram as obrigatoriedades do regulamento — como levar um mínimo de 60 baianas e não ter atrapalhado a dispersão — e se desfilaram no tempo permitido. Já se sabe que a Paraíso do Tuiuti, por ter estourado dois minutos, começará com uma punição de 0,2 ponto.

São 45 julgadores, cinco para cada um dos nove quesitos avaliados. O júri deu notas de 9,0 a 10,0, podendo fracionar em décimos. Em cada quesito, serão desprezadas a maior e a menor nota. Assim, cada escola poderá somar até 270 pontos.

Veja a ordem da abertura dos envelopes:

  • Fantasias
  • Harmonia
  • Comissão de frente
  • Samba-enredo
  • Bateria
  • Alegorias e adereços
  • Enredo
  • Mestre-sala e porta-bandeira
  • Evolução

A Liesa só admite empate na primeira colocação e desde que as escolas tenham registrado a mesma sequência de subtotais. Pelo regulamento da Liesa, o último quesito lido é o primeiro a ser considerado no desempate. Assim o desempate seria nessa ordem: Evolução, Mestre-sala e porta-bandeira, Enredo, Alegorias e adereços, Bateria, Samba-enredo, Comissão de frente, Harmonia e Fantasias. As maiores e menores notas descartadas não serão revalidadas para o desempate.

Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp