RJ – Oito sambas se inscrevem na disputa da Porto da Pedra para carnaval 2023

O Tigre de São Gonçalo recebeu na noite desta segunda feira (25), oito sambas que estão concorrendo para ser o hino oficial da escola no próximo carnaval. Além da entrega das obras concorrentes, a escola apresentou seu time oficial de carro de som, sob o comando do intérprete Nego.

A mais recente contratação da escola foi o intérprete Nego, que no último ano esteve no Império Serrano. Mostrando alegria, ele fez questão de deixar seu recado ao povo de São Gonçalo e aos leitores do CN1 Brasil, confira:

Intérprete Nego

Oito sambas se inscrevam na escola, confira a letra e parcerias:

Compositores: Heraldo Farias, Oswaldo Mendes, Robson Ramos, Cara de Macaco, Rafael Coutinho, Rodrigo Couto, Sérgio Careca, Vinicius Xavier e Samir Trindade

Letra: Sonhei, viajei, delirei
Criei meu mundo
Numa utopia
Sou “Verne” na imaginação
Nessa Indígena visão em fantasia
Do Porto da Pedra foi minha jangada
Ao Rio mar pra Desvendar
Na mente a liberdade dos pajés
A força que vem dos igarapés
A vida refletida nessas águas
Onde vivem as matas
Ô Yara.

Ô Yara, é mulher… é flor…
Amazonas são guerreiras
A magia de Zeneida
A floresta abençoou

Tupis, Guaranis, aruás
Cacique na aldeia clamando por paz
Xamã nos dê proteção
Nos cure da ambição do homem que só causa dor
Levanta pra luta mãe natureza
Convoca seu povo
Nossa ancestralidade
O devaneio se tornou realidade
Ê caboclo, juremá
Sob as bênçãos de Jacy
Ecoou o maracá
Ê caboclo, Juremá
Sob a luz de Guaracy
Vou voltar pro meu lugar

Minha tribo vermelha auê auê
Vem de São Gonçalo okê okê
Onde o Tigre é guardião
Defendendo o nosso chão
Amazônia meu legado

Compositores: Guga Martins, Passos Júnior, Cristiano Teles, Lucas Macedo, Clairton Fonseca, Davison Jaime, Guilherme Kauã, Abílio Jr., D’Castro, Leandro Gaúcho e Ailson Picanço

Letra: Awê!
Peço ao povo pra imaginar
A jangada descendo os andes
O viajante no Rio-Mar
Vem conhecer o Reino da Icamiábas
A poesia da encararia nas águas deixou
Por Amazonas, quem lhe chamou?
Dança! Batuque, Rapé, Pajelança!
A máquina em aliança, metal laçado em cipó
Jaci alumia o sonho de quem navegar
Guaraci o destino no Igapó
Seres espreitam a mata
Ameríndio não anda só

A Floresta vai tremer! Ae! Ae!
Bate o pé no chão… Clareia!
A força de Jurupari não é medo tupi
O mal foi trazido pr’aldeia

A viagem na mente do escritor
Posso ver em nossas veias
Misticismo cravado na cor
Costurei tambor na pele vermelha
Mas eu ao ouvir o canto dos pajés
Convoco as tribos, todos os mitos… Bumbás, Çairés
Batalha se vence com luta
Herança dos meus ancestrais
Porto da Pedra é arco e flecha
De guerra e de paz!

Amazônia Tupinambá… Canto aruá!
Resistência Tembé… Sonho Saterê!
Escute o velho caboclo contando no ribeirão
A lenda de um tigre valente e campeão

Compositores: Vadinho, Zé Alex, Robinho Porto, Karina Porto, Rejane França, Claudinha Sing, Pedro Dentinho, Arnaldo Bigode, Celinho, Baiano, Marcão e Fabio LS

Letra: Sou um servo do delírio
O senhor do imaginário
fui o bálsamo do tempo
Luz de toda inspiração
sou o remo da jangada
rumo à terra inexplorada
onde Deus fez a morada
pele imaculada que restou da criação
eita lar dos homens bons
deita em leito Solimões

Escute o grito que ecoa na floresta
Misture o visgo verdejante e o metal
Eu sou a lágrima de prata, o brilho da lua na mata
Jurupari e bicho folharal
Escute o grito que ecoa na floresta
Misture o visgo verdejante e o metal
Eu sou a lágrima de prata, o brilho da lua na mata
Onde o curumim vira animal

É Amazona, é mulher, bravura
é caruana, e o poder da cura
o arco da piracema
flecha do amor do poema
lança pra eternizar cultura
luzes, bandeirinhas e paixões
Boto sedutor de igarapés,
Zarpa jangadeiro de emoções
Os xamãs, caboclos e pajés
O “Dom” de proteger seringueiras
matitas, “Pereiras”, “Chicos” e “Irmãs” desse lugar
A missão mais deslumbrante por esse rio-mar

Warrãna-rarae, Warrãna-rarae,
Mari-nawa-kenadêe
Ecoam tambores na floresta
Porto da Pedra é nossa hora de vencer

Compositores: Zé Maria do Tigre, Marquinhos Coração, Oswaldo Barba, Pc do Samba, Cláudio SO, JJ Thompson, Ademir, Serginho Coelho, Rogério, Denil, Breno, Jefinho Bastos

Letra: Sou o mensageiro da imaginação
A desbravar a divina inspiração
O infinito não é longe meu Senhor
Na jangada do inventor vou encontrar
Os segredos de uma terra fascinante
Divinamente delirante, sem limites pra sonhar
Que no seu verbo fecundo o criador fez brotar
Eu vi Zeneida exaltar a flor do igarapé
E a pajelança invocar o Caruana da fé

*Jurupari, o ritual tem Caa-cy e Boitatá
Seres da floresta que protegem seu lugar
Eu sou a fera, curumim, sou natural
No meu Delírio tudo vira carnaval

Senhor de rara beleza
Na tua pureza eu pude sonhar
Amazônia, cenário infinito, tuas cores
Teus mitos, histórias pra se contar
Os mistérios da floresta vão nos guiar
Rufam os tambores anunciam que a ilusão
Vai aportar num lindo cais então
Hoje no Porto do mundo, já posso festejar
Um sonho profundo vai contagiar

Nessa viagem, caminhei lá pelo Norte
Verde Amazônia, a mais bela invenção
Tem no seu filho um guerreiro bravo e forte
Porto da Pedra recriou a criação

Compositores: Serginho do Porto, Fernando Gogó de Ouro, Gigi da Estiva e Nelson do Porto

Letra: SOU PORTO DA PEDRA, SOU RAÇA, SOU AMOR!
NÃO EXISTE FRONTEIRAS PRA UM SONHADOR
ALÉM DO INFINITO VOU NAVEGAR
PRO SONHO ELDORADO CONQUISTAR

ME LEVA JANGADA, ME LEVA!
MEU TIGRE EMBARCOU NESSA VIAGEM
SOU AVENTUREIRO NA IMENSIDÃO DE RIOS, IGARAPÉS
LENDAS MISTÉRIOS E MAGIAS… FEITIÇARIAS
ENCANTADO EU VOU
MAREJOU OS OLHOS MEUS
ZENEIDA FAZ A SUA PAJELANÇA
A CURA DE TODO MAL
NA DANÇA O RITUAL
RUFAM OS TAMBORES PRA LOUVAR

Ô LUAR, MEU LUAR DE PRATA, Ô LUAR!
SOL ARDENTE, ÁGUAS CRISTALINAS
FLORESTA ENCANTADA
EMANA FORÇA E ENERGIA

SEGUINDO
O CAMINHO DO PULMÃO DO MUNDO
FLORESCE NA ALDEIA A GUERREIRA
MULHER REVELA SEGREDOS
DEFENDE O SEU CHÃO
INVOCANDO A PROTEÇÃO CONTRA MALDADE E A DESTRUIÇÃO
Ê CABOCLO Ê VIM DE SÃO GONÇALO
NESSA VIAGEM DELIRANTE QUE FASCINA
SEM PONTO FINAL MEU DESTINO É ESPECIAL
HOJE VOU CANTAR EM POESIA

Compositores: Bira, Márcio Rangel, Alexandre Villela, Eric Costa, Rafael Raçudo, Jarrão, Alessandro Sapinho, Rogerio Barcellos, Jailson, Fernando Macaco

Letra: A JANGADA VAI PARTIR!
JÚLIO VERNE, O JANGADEIRO (BIS)
CABE SÃO GONÇALO INTEIRO
DENTRO DA EMBARCAÇÃO!

DELIREI…
E VIAJEI NA IMAGINAÇÃO
A AMAZÔNIA É INSPIRAÇÃO
MINHA AVENTURA SEGUE O RIO-MAR
PRA EXPIRAR DA MENTE UM MUNDO DE BELEZA
NESSA JORNADA À NATUREZA
MISTÉRIOS VÃO ME GUIAR
NAVEGO COM A ALMA DESSA GENTE
BRAVURA FOI SEMENTE
ZENEIDA ME ENSINOU
BAKU SE FEZ PAJÉ
MULHER DE FÉ, A REVELAR
QUEM TEM A FORÇA DA FLORESTA
PROTEGE E LUTA POR SEU LUGAR!

CURUMIM NÃO TEME A DOR, É RITUAL
NA PELE O SEU VALOR ANCESTRAL (BIS)
PRESENTE PRA NOVA ERA
RAIZ QUE BROTA NO CHÃO DA TERRA

SONHOS RIBEIRINHOS
NAS MARGENS DO CAMINHO
NO REINO DA MITOLOGIA
LENDÁRIAS ENCANTARIAS
VIVAS POESIAS NA MEMÓRIA
TÃO LINDAS HISTÓRIAS TONZINHO CONTOU
TIGRE, CAPRICHOSO, GARANTIDO
NESSE DEVANEIO, UNIDOS
DO PORTO DA PEDRA EU VIM
CANTAR ESSE AMOR SEM FIM!

Ê CABOCLO Ê!
MEU POVO DANÇA SOB A LUZ DA LUA CHEIA!
Ê CABOCLO Ê!
NA PAJELANÇA ME ENCANTEI NESSA ALDEIA

Compositores: Maia, João Paulo, Fabio França, Ariane Carvalho, Paulino de Carvalho, Arley Beckmann, Leandro cordeiro, Marcelo Caçapa, Isaías Demócrito, Sérgio Alan, Lucas de Medeiros e Franco Cava

Letra: Surreal!!!
Loucura
Imaginação
Nessa aventura o artista sonha
A invenção da Amazônia
Jangada ê, jangada
Cada folha da floresta, é um página encantada
Jangada é, maquina e delírio, mistérios desse paraíso
No ventre da mata, mulheres guerreiras
Brilha como prata, a luz da lua cheia
Encantaria, energia caruana
Tem poder de cura a força do meu samba

(REFRÃO)
“Nesse Rio que me leva, eu vou navegar
Meu rio Negro abraça o rio Mar
Na pajelança o Tigre bate seu tambor
Índio guerreiro nunca teme a dor”

Amazônia
Magia do Pajé
Nas barrancas de terra caídas
São boitatás, são curupiras
Lutando pra preservar a vida
Contador aumenta um ponto
Yara leva o pescador, boto colhe poesias
Pra levar pro meu amor
É festa, sinfonia de tambores
Piracema de amores, Cunhã Poranga vem dançar
A viagem vai chegando ao fim
Todo artista tem no fundo uma alma curumim

(REFRÃO)
São Gonçalo, é minha tribo
O eldorado é minha escola
No Igarapé, a “vitória”
Porto da pedra, é canto é ritual
Meu destino é um navegar especial

Compositores: Jedir Brisa, Paulo Beckham, Duda SG, Miltinho, Evaldo, Rod Torres, Kiko Ribeiro, Alexandre Borges, Adriano Faca, Renato do Porto e Jaílton.

Letra: Deságuam delírios da retintas
Desatina o imaginário sonhador.
Desbravou o literário em devaneios
Pelos traços dos anseios, na fantasia embaraço
Um coração navegou em contos caruanas do pajé
Mistérios no balanço da maré
Feitiços no encontro Rio-Mar
A Voz da Mata é o pranto que lamenta
A desmata dessas lendas
Em sentinela guardiões vão preservar
Para o céu não desmoronar

A noite enluarada, prateava, a jangada
Ê jangadeiro! Amazônia Eldorado terra santa Fascínios da Alma do Aventureiro

Rituais!!! Seres da floresta
Instinto felino na ponta da flecha
Urucum tinge a coragem tatuada em seu peito É “bixo homi” da pele avermelhada
Oh sereia do rio desafoga dessa tristeza
Em correntezas serenas um poema
Ê ponteia viola violeiro, tambores ecoam no silêncio
Da fauna o sentimento “aflorava”
Ao “ver de” perto um lindo porto a conquistar Mananciais encantadores
Arena de amores: é Parintins
inspiração de tantos contadores

Na pajelança do tigre vou me entregar
Ao ritmo feroz dos maracás
Nas garras amazonenses me leva
Sou mais um filho do Porto da Pedra

Galeria de fotos:

Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp